Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla, Drupal e outros com Domínio e Certificado Grátis

G.R.E.S. UNIÃO DE VAZ LOBO





Total de visitas: 16968
SAMBAS-ENREDO ANTIGOS

1970
Enredo: Ceará de Iracema
Compositores: Gerson Silva e Damasceno

Lá no meu Brasil Nordeste
Ho ! meu Ceará,
Com alegria exaltamos
Ho ! meu Ceará
São tão lindas tuas praias
E teus vastos coqueirais
Ho ! meu Ceará

Apresentamos em forma de cenário
Este episódio multicor,
Jóia da nossa literatura
Onde um romancista se inspirou..
Em Iracema Iracema

Ho ! virgem dos lábios de mel
Deusa da beleza e da cor
Traída pela força do destino
Cometeu um desatino
Ao flechar o seu amor

Jamais existirá
Uma saudade igual aquela
Que tão pouco durou ... o o
A felicidade dela
E por obra do acaso
Ela desaparecia...

Por entre as verdes folhas
Sombrias dos palmerais
Lá do meu Ceará...
Como o cantar sublime das jandaias
Lá no alto do Carnaubal

La ra ra la ra ra la ra ra ra
La ra ra la ra ra la ra ra ra


1972
Enredo: Madureira, capital do samba
Compositores: N/D

Hoje tudo é samba
O momento é carnaval
Sonho que nesse ano se refaz
Na passarela geral
Chegou a hora de se dar a Madureira
Um justa homenagem
Onde o progresso se firmou
Criando uma grande cidade
Que de repente se tornou
A capital do subúrbio da central
Fala Madureira
Quero ouvir a sua voz no samba
Através de seus sambistas tradicionais
Velhos campeões de muitos carnavais
Esta homenagem é do Vaz Lobo
Que também é bamba
À merecida Madureira
Eterna Capital do Samba


1981
Enredo: Renascendo das cinzas
Compositores: Doca, Paulão e Jary J. Santos

Visual, muita beleza colorida
Venho mostrar nesta avenida
Neste carnaval
Nasci, do rosa tão rosa das rosas
Do azul tão azul quanto o azul do céu
Do mar, da terra vista do infinito
Com essa união de cores
Tudo ficou mais bonito
Recordamos em minha história
Alguns momentos de glórias
Dos meus sonhos e fantasias

Hoje renascendo das cinzas
Querendo fazer jus ao direito
De ser um berço perfeito
De estrelas que brilham multicor
Vilma da Portela, Zé Keti fez a "Voz do Morro"
E Juju Maravilha na Beija-Flor
Minha gente
Minha gente por que devo morrer?
Se a brisa soprou as cinza e a brasa ficou
Gerando fumaça e o fogo alastrou
Volto a colorir a passarela
Com o meu azul e rosa eficaz
E o branco trazendo para o povo
Uma linda mensagem de paz
Porque faço parte deste globo
Com muito orgulho
Sou a UNIÃO DE VAZ LOBO


1986
Enredo: A festa no castelo de Xangô
Compositores: Naldo do Cavaco, Guadalupe, Delso Carvalho e Jesus da Bahia

Hoje a União se agiganta
A natureza encanta
A festa no castelo de Xangô
Exu e as pombagiras já chegaram
Oborós e yabás cantam e dançam em louvor
Ogum num belo alazão alado
Ordena paz e amor, axé para todos convidados
Da mata vem Oxossi
Ossanha = Catende
E o neguinho saci pererê

Omolu grande orixá
O tempo é vento faz bandeira tremular
Erês formam roda de ciranda oi
Ao som de tamborim e agogô

Numa carruagem luxuosa, Inhasã toda formosa
Chega ao lado de xangô

Oxumaré faz parar a tempestade
O arco-íris no horizonte se formou
Orum astro-rei aquece o céu
Oxum manda água-mel, tudo se normalizou

Nanã a mais velha das yaras
Senhora dos acalantos
Odôya bela santa tão divina
Sobre as águas cristalinas, encantando com seu canto

Me saure babá, me saurê
Os atabaques tocam ygexá
Me saurê babá, me saurê
É hora de dançar pra oxalá


1991
Enredo: Berço de Estrelas
Compositores: Bebeto do Arrastão, Bastor e Guerreiro

Abro a cortina do palco
Desnudo o passado e encanto o presente
Trago de um berço de bambas prodígios do samba
Que é gente da gente

Dona Marta iluminada trouxe a luz
Wilma do Nascimento
Um cisne do asfalto que seduz

Do Nigth and Day à Portela
Com Mazinho e Natal
Conquistando a passarela

Juju que maravilha
A flor de Vaz Lobo se internacionalizou
Paris – Marrocos – Peru e Portugal
Foram palcos triunfais

Ergueu o pavilhão da Beija-Flor,
União da Ilha, Império Serrano,
Unidos da Tijuca e outras mais
Bailando com encanto e magia
Com Élcio o estandarte de ouro conquistou

De geração a geração
Surge a nova era
E a União se faz presente

Que beleza – Regina seu bailado é sutileza
Foi xodó de Jesuino
A estrela da Portela que brilhou na Tradição
Foi a Lins Imperial
Quem lhe deu a consagração

Quem planta colhe
E quem colhe tem pra dar
Sou raiz eu sou Vaz Lobo
Nesta festa popular


2001
Enredo: Meu Querido Vaz Lobo.. É Bairro, É Raça, É Samba, É União
Compositores: Rogerinho do Futuro

Vou contar
Sua história com orgulho, amor!
Só de pensar da emoção.
"É bairro, é raça, é samba, é união.
oh meu querido Vaz Lobo." da época da colonização
A freguesia doada em sesmarias.
Por conta do Marquês foi a leilão
Fazendas, chácaras, sítios, riquezas
Assim havia terras pra plantar!
Onde viveu José Maria, pioneiro da alegria, bravo, imortal
Anunciando um novo tempo, o progresso trouxe inventos, produziu carvão

Bonde a burro levantou poeira
No elétrico, dancei zoeira
Da velha estrada Marechal Rangel
À Edgar Romero, sou fiel

Cenário, personagens suburbanos
E o comércio prosperando
Cine Vaz lobo e os salões da boemia
No futebol, cajueiro se destacou
Tem capoeira, jongo, samba e nostalgia
Ô abram alas que o povo quer brincar !
Setenta anos pro meu samba eternizar.
Ô bate forte, coração ! Que a bateria vai tocar
Sou União e com arte vou cantar
Amar, amar, amar...

(vou cantar)


2003
Enredo: O Folclore dos primeiros imigrantes em terra brasilis
Compositores: Monamir e Lúcia Regina

Vaz Lobo é folclore e poesia
Começa a história no tempo Tupiniquim
Conta, foi a União das raças
Terra Brasilis vai então evoluir
Índios recebendo portugueses
Vendo futuro a Europa está aqui

Tem folclore...

Tem folclore canto e danças
Reza forte sim sinhô
Imigrantes e seus costumes
Recebendo o nosso amor

E cresce...

Cresce varonil hoje és Brasil
O imigrante irmanou
Grande centro cultural
Nosso folclore é do cenário mundial
Norte a Sul do meu país
De Leste a Oeste a nação está feliz

Obrigado...

Obrigado aos imigrantes
Nossa história é gloriosa
Terra brasilis teu folclore
Vem no manto azul e rosa


2004
Enredo: Portela... Vida, Arte e Glória - 80 Anos de História
Compositores: Helio Pinto, Rogério Santos, Marcelo Ramos, Marcão do Império e Sérgio da Boina

Lá vou eu!
Voando nas asas do tempo
Iluminada pela luz da criação
É a Portela conquistando corações!
Vem viver essa magia de Paulo da Portela à Natal
Ecoa seus oitentas anos de história
Bordo em azul e rosa suas vitórias
É hoje minha escola vem mostrar!

Quem plantar para o bem, tem mais!
Vem colher união e paz
Voa águia altaneira em alto - astral
Vinte e uma vezes campeã do carnaval

(Celeiro)

Celeiro de bambas,
Cenário de grandes imortais
A cisne abençoada fascinou!
“Foi um rio que passou em minha vida!”
Doce melodia entoou
Gira Baiana,
Gira ao som da bateria
Abram alas prá harmonia
E deixa a velha guarda dá o show

Sou Vaz Lobo com amor, vou sonhar!
Vou abrir meu coração na passarela
E nesta festa vamos homenagear
Minha querida Portela!
Lá vou eu


2005
Enredo: Da escravidão à ascensão, o negro que deu certo
Compositores: Lúcia Regina e Monami

Mãe África na fé
Traz tua raça e dá filhos ao meu chão
Ainda bem menino sem saber
Que ganhava a solução
Vaz Lobo é só alegria
E da história canta o lado mais feliz
O mundo inteiro reconhece
A força negra evoluindo o país

Sou da Feijoada e Acarajé
Samba, futebol, Umbanda e Candonblé
O meu canto dança Jongo e Capoeira
A minha fé nos Orixás é brasileira

Uniu religiões
Lá no congresso tem poder nas decisões
Nas artes e cultura
Inspirando as canções
Trabalha em terra, céus e mares
É vanguarda social
Presenteia toda Terra
Unindo o povo, dando show no Carnaval

O Negro que deu certo
De sorriso aberto, forte a raça emergiu
Da senzala ao planalto
Está na ordem e progresso do Brasil


2006
Enredo: Madureira bom de samba, bom de bola - suas historias e estorias
Compositores: Helio Pinto, Duda Marechal, Ivan Veneno, Rogerinho Santos

Madureira, solo fértil que me traz inspiração
Vaz Lobo, hoje, canta em poesia
Quase quatro séculos, que jamais esquecerá!
Foi Lourenço Madureira
Que trouxe o progresso pro lugar
Da Maria fumaça, que corações, uniu
Ao trem que parte da Central do Brasil

Ecoa o sino, lá vem o bonde
Eu vou à luta, no dia-a-dia
Sou energia que levanta o meu astral
Tem fantasia pra brincar o Carnaval

Teatro de revista fez platéia popular
Zaquia Jorge despertou paixões
Mas, a força do destino, fez Madureira chorar
A sua estrela que não se apagou, brilhou na coroa imperial
Zé Carioca, malandrinho, brasileiro,
Foi na Portela, que Walt Disnei se inspirou
Pro Alto da Pedra levo a minha fé
Que as crianças construíram a São José
Na batida do jongo, ô, ô, ô
Brotou minha raiz
E a capital do samba, orgulho de gente bamba
Minha cidade, com você, é mais feliz!

Como é lindo ver, seu amanhecer
Bom de samba, bom de bola, suas histórias e estórias
O coração da zona norte é você



Criar um Site Grátis   |